Projeto Florescer: Arte-Educação, cidadania e Ecologia

O Projeto Florescer foi criado em 1997, com o objetivo de contribuir para formação de jovens (com idades entre 13 e 17 anos, moradores comunidades da periferia da cidade de Petrópolis e matriculados na rede pública de ensino), através da realização de oficinas de arte, educação, cidadania e ecologia, incluindo práticas de economia sustentável.

 O processo de seleção para participar do Florescer é lançado anualmente, em geral no mês de fevereiro. A formação, que é interdisciplinar, tem duração de 10 meses e, ao todo, são oferecidas 30 vagas.

Já inseridos no projeto, a dinâmica de atuação do Florescer ocorre a partir da divisão dos respectivos núcleos de atuação, que realizam oficinas com temáticas específicas. Na rotina de atividades, a equipe do Florescer interage com integrantes de outros projetos da organização, em ações de defesa dos direitos humanos, tais como a luta pela desapropriação da casa da morte (imóvel que funcionou como instrumento de tortura na época da ditadura civil-militar) e as atividades do projeto Assessoria Jurídica Popular, que visam oferecer apoio aos impactados por desastres socioambientais.

Foi criado a partir deste projeto, o ArticulAção, iniciativa que hoje reúne os diversos núcleos de atuação que surgiram através do Florescer. São eles: o Coro Nheengarecoporanga, hoje conhecido como Coral do CDDH, que é formado por 27 jovens remanescentes do projeto, o Núcleo de Cinema & Direitos Humanos, criado em 2012, o Núcleo de Musicalização & Funk  e a atividade de monitoria, que possibilita aos jovens que se formaram no projeto, tornarem-se multiplicadores do conteúdo e prática que receberam.